A sabedoria busca conselhos

Buscar conselhos de gente sensata é a primeira coisa que você pode fazer para assegurar sua convicção em meio à incerteza. A liderança não está vinculada a decisões solitárias. Está vinculada a assumir a paternidade das decisões logo que você as tomar. Caso não saiba, pergunte. Caso não esteja seguro, descubra o que as pessoas estão pensando. O consenso solidifica a confiança diante da incerteza. Quando as pessoas em quem confiamos dão o sinal de aprovação, a confiança aumenta imediatamente.

Grandes líderes têm grande avidez por aprender. Mas aprender pressupõe uma atitude de submissão. Nem todos os líderes ficam à vontade com ela. Submissão é a atitude adotada por outras pessoas, aquelas que precisam ser lideradas. Facilmente nossos pontos fortes podem virar pontos fracos. O mesmo acontece com a atitude do líder em relação à submissão. Isso vale tanto para líderes que estão nos seus primeiros anos quanto para aqueles que já são líderes com vasta experiência.

Conseguir um mentor ou coach para seu crescimento requer de você como líder, submissão ao conselho e à instrução de outras pessoas. Se não for possível ensinar-lhe algo, não é possível fazer coaching ou mentoria com você. Infelizmente, não importa se somos jovens ou experientes, sempre achamos que sabemos das coisas, e menos provável é que nos coloquemos sinceramente sob a influência de um mentor ou um coach. Isso é especialmente verdadeiro se nos consideramos mais capazes, apaixonados ou talentosos do que as pessoas ao nosso redor.

Ao longo da história de Israel, Deus estabeleceu reis, e como todos, precisavam de conselho. Alguns o buscaram. Outros não. Em geral, os que não o fizeram pagaram um preço alto na liderança que exerciam.

Salomão, o homem mais sábio que já viveu, escreveu mais sobre buscar conselhos do que qualquer outro autor bíblico. E isso não é coincidência. O homem que menos parecia precisar de conselhos era o que mais estava convencido de sua necessidade. Outra coisa interessante a respeito de sua insistência em buscar aconselhamento é que ele era um rei. Os reis, governantes supremos, não precisam de conselhos, certo? Nem mesmo líderes divinamente escolhidos sabiam tudo o que precisavam saber. Mais uma vez, onisciência não é um requisito para a liderança. Disposição para ouvir é.

Pense nisso: por que o homem que menos precisava de conselhos era o que mais os recomendava?
Simples: ele era o homem mais sábio do mundo. A sabedoria busca conselhos. O homem sábio tem limitações e as reconhece. É o tolo que acredita não tê-las. Só o ingênuo acha que pode tomar todas as iniciativas sem ouvir o que as pessoas de fora têm a dizer.

É por isso que sempre fico fascinado com o fato de o homem mais sábio do mundo ter escrito tanto a respeito da busca constante de conselhos.

Eis alguns pensamentos de Salomão:

  • Se o sábio lhes der ouvidos, aumentará seu conhecimento, e quem tem discernimento obterá orientação. Provérbios 1. 5
  • O caminho do insensato parece-lhe justo, mas o sábio ouve conselhos. Provérbios 12. 15
  • Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem sucedidos quando há muitos conselheiros. Provérbios 15. 22
  • Ouça conselhos e aceite instruções, e acabará sendo sábio. Provérbios 19. 20

Precisamos buscar conselhos e prestarmos contas e assim crescermos no nosso  desenvolvimento de vida.

“Quem são as pessoas que ajudaram você a se tornar a pessoa que você é hoje?”

“Quem são as pessoas que ajudarão você a se tornar o líder que Deus quer que você seja amanhã?”

“Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.” Pv 27.17

_____________________

STANLEY, Andy. O líder da próxima geração: qualidades de liderança que definirão o futuro; tradução Marson Guedes – São Paulo: Editora Vida, 2008.